Fabiana Ferreira Lopes

" A vida só se da para quem se deu" Vinicius de Moraes


Visit Beco dos Poetas
Meu Diário
12/02/2016 19h47
Saudades de Você

Meu dia hoje foi horivel.

Estou com tantos problemas no meu trabalho, você nem faz ideia... eu não queria ter retornado, mas as muitas responsabilidades e obrigações, me impedem de mandar tudo as favas!

Foi um daqueles dias, que comentamos sentados a mesa, enquanto eu saboreava o café: "Tem dias que até o zunido de um mosquito incomoda". Foi o que você me disse, com aquele sorriso lindo entre os lábios.

Percorri todo o trajeto até em casa cabisbaixa, pensando que se eu tivesse feito a lição de casa corretamente, tempos atrás, talvez hoje a situação seria muito diferente.

O dia não definitivamente um desastre total porque algum anjo do céu compadeceu-se com minha tristeza e o telefone tocou.

Ouvir sua voz, ainda que brevemente foi um balssámo para minha alma e um acalento para meu coração!

Minha vontade foi paralisar esse momento ou melhor migrar por entre as ondas invisiveis do celular e aparecer na sua frente.

A saudade de você é tanta, tanta...

Por que você fez isso comigo?

Por que roubou meu coração, sem me deixar meios de fugir dessa paixão?

Estou fazendo um esforço tremendo para não olhar o calendário contando, quantos dias, semanas, meses faltam para te reencontrar?

E por favor, perdoe-me, eu não esperava apaixonar-me dessa forma. Eu sei da nobreza do seu carater, da sua seriedade com compromissos a bastante tempo assumidos.

Não me veja como uma mulher leviana e vulgar, simplesmente aconteceu esse amor em mim, e eu não pude evitar, eu não quero evitar.

Tenho tanta inveja, de quem pode te tocar, sentir seu cheiro, beijar sua boca, ser sua, e eu aqui sozinha, rolando de um lado para outro, queimando em brasa de tanto desejo por você.

Eu quero você.

Diga que estará la quando eu chegar, você tem a chave da porta e agora possuí  a chave do meu coração!


Publicado por Fabiana Lopes em 12/02/2016 às 19h47
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
06/11/2015 14h23
Hoje eu sei

Quando aquela porta 

Entre nós se fechou

Eu chorei sem que ninguém 

Percebesse a minha dor

E embora ainda haja tanto amor em mim

Sei que esse é o nosso fim

Porque as vezes o amor dura

E outras vezes ele fere

E mesmo não compreendendo bem

Hoje eu sei,

Que nem sempre quem você ama

É o melhor para nós!


Publicado por Fabiana Lopes em 06/11/2015 às 14h23
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
03/12/2014 00h50
Infelicidade

Tenho andado muito mais do que triste por esses dias.

Nem mesmo o céu azul tem animado meu coração, e quem bem me conhece sabe o quanto gosto dos dias quentes, de céu azul, de cerveja gelada...

Saudade do tempo que te amava... ai como era bom amar alguém de forma louca e latente como eu amava você!

Eu simplesmente me sentia incrível, linda e capaz de tudo!

Nossa como eu era topetuda!!!

Será que você se lembra?

Acho que não... na verdade duvido que lembre meu nome, meu rosto...

eu aindo lembro do seu nome é claro, e lembro sim dos traços do seu rosto. Lembro de você com muita intensidade porque você foi o único que verdadeiramente amei e por te amar dessa forma genuína, eu era uma outra pessoa, muito mais bonita, feliz, capaz, acreditava que eu realmente era capaz de realizar e ter qualquer coisa... te amar me dava essa força estranha.

Eu via beleza em tudo, eu dançava na chuva...

Até que tudo mudou e você me deixou.

Meu mundo perfeito partiu, eu me vi sem chão sem ar.

As minhas forças sumcumbiram em meio ao inevitável.

Ano após ano eu amaldiçoei a estúpida escolha de não ter ficado sentada naquele maldito sofá enquanto você ia ao jogo do Corinthans... que você fosse a todos os jogos, mas voltasse para mim...

Eu deveria ter ficado naquele maldito sofá cordata enquanto você transava com todas as garotas assanhadas do bairro, que transasse com todas da cidade, quiça do mundo,desde que voltasse para mim...

Eu deveria ter ficade naquele maldito sofá enquanto você sorvia todos os cálices do mundo, deveria ter aprendido a bordar, passar, lavar, cozinhar e sei lá mais o que, tudo que fosse preciso para que enfim você ficasse comigo...

Porém ao invês disto eu te mandei para o quintos dos infernos!

Censurei as idas ao estadio sem mim, sua infidelidade sem fim!

Sua falta de consideração....

Enfiei o dedo na sua cara, gritei, chorei, xinguei, brinquei de cabo de guerra, e sai para o mundo.

Viajei... estudei, bebi talvez mais cálices que você, dormi com todos os homens que quis e alguns eu nem quis tanto assim.

Perdi noites e mais noites, percorri tantos caminhos, escrevi livros, casei, descasei, até morrer eu quis...

Tenho 350 amigos no Facebook, 68 contatos no wattapps... e sou a pessoa mais sozinha e infeliz que um dia passou por sua vida.

Não sou nem sombra daquela jovem que você conheceu... eu achava que ela havia se perdido, mas agora acho que ela morreu.

Ficou essa mulher, amarga, que finge o tempo todo... que sorri, mas por dentro chora.

Uma mulher descrente, desesperançosa, uma atriz, interpretando um eterno personagem, da pessoa que deu certo.

Da pessoa que está bem.

Porque você nem pode ficar mal, que sempre tem um chato de plantão pra te censurar, pra te deixar mal por você estar mal.

Essa é a merda de vida que eu tenho levado.

Uma farsa em famíla.

Uma farsa em sociedade.

Mas afinal quem liga?

Quem se importa?

Estão todos muito ocupados com suas vidas mais que perfeitas.

E aliás é culpa de algúem eu ser uma ferrada?

Tudo ter dado errado?

Se eu tivesse casado com você teria sido diferente?

Ou teria sido só outra mentira para eu lidar?

Eu nunca vou saber...

Você sabe, eu nunca gostei de final de ano... mas nos últimos 10 anos tem só piorado, mas parece que esse vai ser um dos piores... vou ter que beber muito, muito, para tentar não me jogar do alpendre...

Não, não é drama não... é infelicidade mesmo. Nua e crua.

Sabe toda aquelas pessoas, aquelas do nosso tempo de namoro, elas não vem mais na minha casa... tem algumas que eu nem falo mais... é verdade... até mesmo os parentes... estava lendo Shakespeare, você sabe que gosto... bem entre muitos de seus pensamentos ele cita que se você se sente só, é porque construiu muros ao invés de pontes... bem com todo respeito, mas se ele estivesse aqui,eu o mandaria a puta que o pariu!

Serio!!! Lembra, como você costumava a brigar comigo porque eu era muito"dada", fazia amizada com todo mundo, levava todo mundo em casa... então como assim construir muros??

Mais sociavél do que eu? Caramba!!!

Então eu discordo totalmente... eu ainda não entendi muito bem, tem um ponto da minha vida onde tudo ia bem, tudo corria perfeitamente bem, todos os planos, certo, você, faculdade, folha de s.paulo, eu , redatora chefe, apê, casa na praia, viagem para madri, carro do ano... grana... e derepente... bum!!!!!

Veio um tsunami e acabou com tudo, mas com tudo mesmo!

Não sobrou nada, sobrou esse vislumbre de algo que fui.

Sobrou tudo que não deu certo e por mais que eu me esforce eu não consigo consertar.

E na boa, estou muito cansada para continuar tentando, porque se ao menos eu te amasse ainda... eu teria aquela altivez, aquele gás... mas eu não te amo, eu sinto saudade, do tempo que te amava, mas nem isso eu tenho mais...

Não restou muita coisa... escrever... eu escrevo... e você acredita, meu, olha eu escrevo porque é um dom, não fui para faculdade aprender fazer rimas... eu não sou romancista, eu até queria... enfim... a única coisa que ficou daquela jovem que você conheceu naquele 23 de agosto de 1993 terça feira, chuva torrencial na capital paulista no Largo da Batata foi isso, meus poemas... e cara até isso andaram criticando, enfim...

Eu escrevo, porque não tenho amigos, vou na terapeuta, mas a sessão dura 30 minutos, eu nem comecei a falar e ela já tá me dando tchau até semana que vem...

Eu odeio meu trabalho.

Só estou lá pelo convenio médico. Meu, fiz 3 cirurgias esse ano!

Meus irmãos, bem eles tem seus próprios problemas... meus pais tão velhos, cansados e já fizeram a parte deles, meu ex marido, bem ex não conta, e tem o Pedrinho a única coisa certa que fiz na merda dessa minha vida... e é só por causa dele que eu não coloco um ponto final nessa trajédia nada grega que é minha vida, por ele.

Se tudo fosse facíl...

Mas para você foi, deu tudo tão certo e você é tão feliz.

Só eu que não consegui... por que?

Por que de todos somente eu sou a mais infeliz? ):

 


Publicado por Fabiana Lopes em 03/12/2014 às 00h50
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
12/11/2014 01h36
Triste

Hoje particulamente triste.

Cansada e exaurida das minhas reservas de forças...

As vezes eu queria um colo.


Publicado por Fabiana Lopes em 12/11/2014 às 01h36
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
02/11/2014 14h21
Paixão

Tenho pensado em você grande parte do meu dia

Entre mil coisas e atribulações, encontro um tempo só para você

E penso nessa sua pela branca

Penso nesses olhos ora castanhos

ora verde-mar

Teu perfume

Que entorpece

E como eu queria me perder nesses teus braços

Fortes

E percorrer cada melimitro desse teu corpo

Beber de você a essesncia

Deixar escorrer sobre mim

Como um rio

Serpenteando em busca do mar

Ah que vontade louca de largar

O que penso ser certo e seguro

Por um instante

Ser só sua

Essa paixão

Consumindo minha alma

Incendiando meus desejos

Você indo e vindo nos meus sonhos

Se eu tivesse coragem bastante

Se você me quisesse

 

 


Publicado por Fabiana Lopes em 02/11/2014 às 14h21
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 1 de 7 1 2 3 4 5 6 7 [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Follow @fabilop18