Fabiana Ferreira Lopes

" A vida só se da para quem se deu" Vinicius de Moraes


Visit Beco dos Poetas
Textos

Amor à segunda vista
É claro que todos e inclusive você, vai dizer que o que sinto por você não é amor. É amizade somada com gratidão.
Então você mesmo irá discorrer dos inúmeros percalços que passei, e de todas as vezes que você foi tão somente, o bom amigo que se importa.
É verdade, eu vou ser sempre grata. Nada, absolutamente nada do que eu venha a fazer para você, será o suficiente, porque você ressurgiu diante de mim, muitos anos depois dos avisos do céu, que você iria chegar, os cabelos já não eram mais tão escuros, fora substituidos por um leve grisalho e as madeixas não eram mais tão encaracoladas, o quê não diminuiu em nada a beleza, acrescentou um charme a mais.
Esbarrar com uma mulher como eu, ahhhh, não é para qualquer homem, tem que ser muito homem, afinal eu sou um misto de vulcão em plena erupção, tormenta,maremoto, tsunami. Não, eu não sou facíl, eu nunca fui, você bem sabe, muitos outros teriam fingido demência e atravessado direto aquela avenida, naquela sexta-feira. Você parou. Você me deu o zap, falou pouco e como sempre, ouviu muito.
E marcamos jantar, e claro, eu sempre tão desajeitosa, toda encinuada e você, tão gentil, tão cortês, tão na sua...
Ouviu sobre minhas dores, desamores, ganhos, perdas, os passos errados.
Ouviu tudo, ponderou, aconselhou, nunca julgou.
Eu fui embora. Como é da minha natureza, eu fui sem plano B, intempestiva que sou, me joguei e quebrei a cara. O tombo foi feio, o mais terrível, quebrou mais que os sonhos, esmigalhou meu orgulho, partiu minha vaidade.
Você, ouviu cada choro, cada lamento, e estendeu a mão. Não houve sermão, nem ao menos " eu te avisei"... o bom amigo que se importa, importou-se quando todos deixaram de se importar, acreditou quando eu mesma não acreditei. Enxugou minhas lagrímas, me deu o conforto do seu ombro, os bons conselhos, as boas palavras.
Foi assim, que eu me vi vivendo o amor à segunda vista.
Sendo poetisa, acreditei que o amor,era algo que acontecia de uma forma quase teatral, então você me mostrou esse Amor. Que surgi assim, sem fazer alarde, e te faz pensar naquela pessoa, no meio do trânsito parado as seis da tarde.
Que aquece o seu peito e o corpo numa noite fria de maio, e tira no meio das lagrímas um sorriso quase infantil.
O meu amor por você é assim
Mar calmo no fim de um dia de sol
É arco-iris enfeitando o céu
É bonança após a tempestade.
E eu Te Amo com toda certeza, verdade e grandeza que o amor pode ter.
E porque eu sei que é Amor genuíno eu aceito que não seja o mesmo para você.
Eu não peço nada porque eu sei que Eu te amo, como não amei nunca e jamais irei amar.
Porque com você é o Amor que nos dá paz
Que traz clareza, que liberta e nos faz querer ser melhor, ser merecedor de tal Amor.
E eu sei, ainda não sou merecedora, mas esse fato não faz que eu não te ame.
Eu amo, eu amo tanto, que acordo com você e durmo com você, em meus pensamentos. E eu cito tanto o seu nome ao longo dos dias e acontecimentos, que é difícil te verem só como o bom amigo.
Porém você é sim, o bom amigo, e é o amor da minha vida e que teve que ressurgir uma outra vez para que eu pudesse ver, e agora eu te vejo e eu amo você!
E eu já sou mais que feliz por isso ter acontecido agora, nessa fase da minha vida.
E você me dá mais do que eu poderia imaginar, você é meu ponto de luz, onde só havia desenganos e escuridão, você chegou e iluminou e tudo, tudo mudou em mim, dentro de mim.
Eu te amo hoje e agora. E eu vou te amar amanhã e depois e para sempre.



Fabiana Lopes
Enviado por Fabiana Lopes em 18/05/2019
Alterado em 18/05/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Follow @fabilop18